quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Fuçando coisas velhas, e o blog é uma delas - Pt. 1

Aviso: este post não contém a seriedade que aparenta.

Reparem na seguinte sequência de eventos: Eu ganhei um porta retratos de amigo secreto no Natal. Abri a gaveta de uma cômoda antiga para encontrar algo para colocar nele. Achei um monte, mas um monte mesmo, de fotos antigas. A maior parte minhas, mas as mais interessantes foram as de quando eu ainda nem tinha nascido! Eu precisava voltar a atualizar o blog. Bem, achei o motivo perfeito.

Essa primeira parte reservei para as minhas fotos de infância, apesar de já ter feito um post parecido com outras fotos. O que eu quis ressaltar neste post, entretanto, é algo que você já vai perceber por si mesmo. 

Depois de analisar cuidadosamente cada uma das fotos que eu encontrei, percebi algo que parte de mim já tinha esquecido: eu sempre fui meio idiota.

Quero dizer, todos se lembram de mim como a criança séria e razoavelmente comportada que eu fui. Mas o que eu vejo, quando presto atenção nestas fotos, é que essa minha inabilidade social sempre existiu. 

Apesar de aprender rápido e tirar notas melhores, eu sempre fui meio atrasada em relação a coisas aparentemente simples para outras crianças. 

Sempre dei menos atenção do que deveria a instruções sobre como fazer as coisas direito ou, pelo menos, de um jeito que não te faça passar vergonha.

 Demorei alguns bons anos pra começar a seguir um conselho que minha mãe sempre me dava, "olhe o que as outras pessoas estão fazendo e faça também!". Sei lá, parecia mais interessante checar onde diabos estava o sorvete que prometeram que ia ter.

E depois apreciar o tal sorvete. Socializar pra quê?

Pra quê?

 Pra q... nossa, o que de tão interessante estaria acontecendo daquele lado?

E quando se tratava das formalidades sociais, meu desinteresse chegava a proporções um pouco maiores. Quero dizer, não é por estar no meio de uma quadrilha que eu precisava fingir que estava acordada, certo? 

Ou mesmo prestar atenção no meu próprio parceiro ou na coreografia em si.

Eu também não parecia gostar muito de toques...

Mas uma coisa é certa: eu sempre soube me divertir muito em festas. Só não era muito boa em demonstrar.

 É, acho que certas coisas nunca mudam. E tantas outras nos acompanham há mais tempo do que supomos. Como a minha capacidade de ser fofa, por exemplo, a despeito de ser uma pessoinha um tanto desagradável.
ʕ→ᴥ←ʔ ♥

Sobre o porta-retratos? Bem, no final eu acabei colocando a foto de um peixe mesmo.

2 comentários:

  1. Conselheiro Social1 de janeiro de 2015 17:19

    Nossa, adorei o post /o/ E estou feliz que vai voltar a escrever, uma boa notícia para começar 2015 bem u_u E gente!! Gente!!! Essas fotos são perfeitas! Tipo, parece que a Bia dessa época sabia exatamente como tinha que sair para que este post pudesse ser feito! As fotos estão muito adequadas (ok, você adequou o texto às fotos, mas mesmo assim, você nem deve ter se esforçado para fazer isso). Adorei mesmo KKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sempre em total sincronia com a minha criança interior ò.ó/
      Eu falei que você ia gostar ASHUASHUA

      Excluir

Oi, queridos! Aqui é seu espaço, podem colocar os pés no sofá.