quarta-feira, 3 de julho de 2013

Um texto literalmente sobre tudo e absolutamente sobre nada.


Meu problema é que eu quero fazer tudo, quero ser tudo, quero ver tudo e aprender tudo. Quero saber tudo, quero participar de tudo. E fazer parte do "um todo", também. E não é só isso. Quero fazer tudo o tempo todo, em todos os momentos. Quero que todas as perdas sejam plenas de lições e que os ganhos sejam algo que ocorre o tempo todo. Quero que todo mundo se conecte. Comigo. Mas também quero desenvolver ao máximo o meu potencial individual. Quero a sensação de plenitude, de missão cumprida, de tempo bem gasto. Afinal, quero querer menos e fazer mais e fazer tudo o que eu quiser, quando fizer. Quero tanto aniquilar o sentimento de impotência que às vezes me pego preferindo a ilusão da onipotência. Não quero ser outra pessoa, longe disso. O que eu quero é ser tudo o que posso ser. Quero ser o máximo de mim, pelo máximo de tempo que conseguir, dando o máximo do meu eu pelo que eu puder dar. Quero também entender que "eu" é esse que às vezes se passa por mim, mas que tão pouco conheço. Mas aí já é querer demais. Quero que todos também queiram, não as mesmas coisas que eu quero, mas que queiram qualquer coisa com tanto querer quanto eu quero qualquer coisa. Quero que também queiram que os outros à sua volta também queiram. Quero acreditar que todas as coisas que eu quero sejam possíveis de se conseguir. Mesmo que no campo da existência abstrata ou em um universo paralelo. Queria ter tempo para poder fazer tudo o que quero e, mais do que isso, para poder querer tudo o que quero. Para isto precisaria de todo o tempo do mundo, o que na verdade é só o que temos, de todo jeito. Meu problema, afinal, não é o querer e nem as coisas que eu quero. Meu problema não é não poder, porque, no final das contas, não se pode saber o que se pode fazer, sem antes fazer. Meu problema é que não posso ter tudo, a começar pelo problema em si. Logo, meu problema é que o problema não é meu.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. este post tem muito minha cara. Amei, sério! Sei lá porquê diabos, mas eu adoro esses "devaneios". Além do post, seu blog é bem legal, da até desanimo de entrar no meu ¬¬
    beijos doces pra' ti :*
    BrigadeiroComSuspiro

    ResponderExcluir
  3. Serviço de dicionário para blogs com temáticas rosas10 de agosto de 2013 01:20

    um texto nao pode ser literalmente sobre tudo
    vc usa 'literalmente' errado

    ResponderExcluir
  4. Ok, não sei se vc é a debbie ou o andy, mas a felhadaputice é mais a cara da debbie.

    Pode sim, tanto pode como foi ò.ó

    ResponderExcluir

Oi, queridos! Aqui é seu espaço, podem colocar os pés no sofá.